jusbrasil.com.br
2 de Abril de 2020

Cresce a oferta e o interesse pelos leilões de imóveis. Saiba avaliar quando eles são adequados aos seus objetivos e ao seu bolso.

Reynaldo Mina, Advogado
Publicado por Reynaldo Mina
mês passado

Com a baixa rentabilidade da renda fixa e os altos e baixos da Bolsa de Valores pela influência do Corona vírus e algumas declarações de possível supervalorização, tenho recebido mais consultas sobre as possibilidades existentes no mercado de leilões de imóveis.

Já atuo há bastante tempo neste mercado, tanto como arrematante, como na orientação jurídica para quem quer arrematar um imóvel. Por isso, posso assegurar, que o mais importante é entender qual a real expectativa de negócio, e se, os benefícios do preço reduzido valem os riscos associados à compra em leilão.

Assim, se a intenção de participar de um leilão tem a ver com a necessidade de compra de imóvel para morar, associado a um prazo curto fixado para a mudança, mesmo que o imóvel esteja desocupado, esqueça o leilão. Entraves administrativos e jurídicos podem fazer com que a efetiva posse do imóvel demore muito mais do que o planejado e você não tenha para onde ir, ou gastará muito mais que o orçado para a mudança.

Por outro lado, se você encontrou uma grande oportunidade, um imóvel por preço baixo em região de seu interesse, para residência ou investimento, tem disponibilidade de tempo e de caixa para esperar o trâmite administrativo e judicial, acredita no potencial do imóvel e na sua valorização futura, o leilão pode ser uma grande oportunidade.

Agora, se o foco é somente investimento, considere-o como sendo de longo prazo. Embora as avaliações dos leilões, em sua grande maioria, já refletem as baixas de preços dos imóveis, e é possível arrematar abaixo de 50% da avaliação, o mercado de imóveis usados está super ofertado e a demanda ainda é baixa.

Definido o interesse, faça sua estimativa financeira, não esquecendo de computar os 5% do leiloeiro, o ITBI (3% na Capital de São Paulo) e os custos registrais. Atenção redobrada na leitura dos Edital do Leilão, uma vez que despesas que recaem sobre os imóveis podem ser de responsabilidade do arrematante.

E por fim, lembre-se: não há crise nem oportunidades que dure para sempre. Logo, se você pretende diversificar seu investimento no mercado imobiliário, e como eu, prefere a segurança do bem físico as incertezas dos Fundos Imobiliários, ou simplesmente achou a casa de seus sonhos, e a estimativa financeira está bem feita e de acordo com suas possibilidade, definitivamente, o leilão será um ótimo negócio. Aproveite.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)